Sempre há um aluno que chega na escola frustrado e furioso, dizendo: antes de começar o curso, preciso conversar com o professor que vai dar aula para mim!

Os alunos iniciam um curso cheio de esperança de que, chegando o tempo derterminado,  aprenderão o que planejavam/necessitavam, mas isso nem sempre acontece. Por quê?

Quando um aluno entra numa escola, ele não sabe e não tem como saber o resultado da aprendizagem que será revelado só depois de alguns meses. Ele toma a decisão por causa do nome da escola, acredidando na sua propaganda. A realidade é que a maioria das escolas não está preparada ou, posso dizer, ainda não sabe como ensinar mandarim. Visitei algumas escolas de idiomas e dei aulas demostrativas com os materiais didáticos delas. O que encontrei são: 1. Materiais didáticos muito fracos, seguindo modelo de ensino inglês ou espanhol; 2. Os professores de lá são falantes da língua, mas não são especialistas em repassar o conhecimento da língua; 3. O dono da escola não tem a menor idéia de o que é mandarim e, logicamente, não sabe controlar a qualidade de ensino. O único ponto em comum entre essas escolas é que os professores são “nativos”.

Já falei que a língua chinesa é bem diferente, mas não bem difícil. Um ótimo método didático para o inglês pode ser um péssimo para o mandarim. Lembrei uma frase escrita por um pai empresário bem sucedido para o seu filho: os caminhos que te levam ao fracasso são muitos, porém, só há um que te conduza ao sucesso. A peculiaridade do mandarim é: ele requer que o aluno ande no caminho correto. No proximo texto, falarei sobre a estratégia para aprender o mandarim.

Anúncios